Beverly Crusoe

Pivô norte-americana que defendeu o BCN no final dos anos 80.

O Moisés reforça as informações sobre a jogadora, na caixinha abaixo.

 

Anúncios

19 respostas para Beverly Crusoe

  1. moises gomes disse:

    Não foram mencionadas as americanas do CICA divino: Kelly e Brantley; as Cubanas que defenderam a UNIMEP, trazidas pela Maria H. Cardoso; a espanhola grandalhona com certeiro tiro de fora, que atuou no Santo André; e é logico a NOSSA TALENTOSISSIMA Karina Rodriguez; também a querida e competende Elena Tornikidou que joga ainda na Espanha.

  2. Moisés,

    Ainda não encerrei a página.

    Estou colocando pouco a pouco os dados.

    A Marina, Elena e a Karina estão na minha lista.

    Sobre a Kelly e Brantley ainda estou pesquisando.

    Em relação às cubanas, não tinha conhecimento.

    Bert

    • ivan bernardo disse:

      eu com certeza acompanhei a passagem da bervely pela prudentina , um jogadora extraordinaria , mt tecnica , abilidosa , gostaria q o tempo voltasse atras para ver essas grandes jogadoras , vania hernandes , vanira, eronides ,branca , paula , hortencia , marta , suzete , vania teixeira , nadia ,karina , debora lee e por ai a fora .

  3. moises gomes disse:

    Bert,
    Será difícil encontar dados sobre as cubanas. Talvez nos jornais de Piracicaba (www.jp.com.br). Também considero a matéria sobre a Beverly muito aquém do que ela representou para o basquete brasileiro. Posso estar enganado, mas ela foi a precursora entre as estrangeiras. Chegou a compor o quiteto “matador” da Prudentina.
    Moisés

  4. Moisés,

    Só vi a Bervely jogar depois, quando ela estava no basquete chileno.

    Infelizmente, não consegui mais informações sobre ela.

    E o Brasil carece de um registro de dados dessa época.

    Bert

  5. moises gomes disse:

    Prezado Bert,

    Vejo uma luz no final do túnel. Graças a Deus, e graças ao próprio basquete, talvez TUDO possa ser esclarecido…
    Existiu uma revista sobre basquete editada pelo JUAREZ ARAÚJO. Tenho um único exemplar de 88, quando o trio formado pela juvenil Karina, pela incansável marcadora Nádia e por uma OUTRA americana (nenhuma das citadas até agora), faturaram um campeonato batendo os times favoritos de Paula e Hortência. Vou procurar no meu “alfarrábio” mais informações.
    Há anos, por saudosismo do bom e velho basquete feminino paulista, tentava juntar os cacos da história que por pouco não se perdeu.
    Ainda bem que tivemos a sorte de aparecer um jornalista dedicado como o JUAREZ e agora, quando tudo parecia mergulado nas trevas, VOCÊ.
    Obrigado pela iniciativa de resgatar aquele momento tão singular do nosso basquete. Tinhamos uma “briga” interna entre equipes estreladas por Hortência e Paula, e de quebra um punhado de talentosas atletas estrangeiras que, com certeza, contribuíram para a formação de uma ótima geração de PIVÔS no basquete brasileiro.
    Moisés

  6. moises gomes disse:

    Bert,

    Andei pesquisando e descobri que a BEVERLY, e não Bervely, que defendeu as cores das equipes UNIMEP/BCN Piracicaba, é na verdade Beverly CRUSOE. Ela foi incluída no “Hall da Fama” da “University of Dayton” em 1987. Ela teria integrado a equipe da Universidade americana nos anos de 1977 a 1980.

    Abraço,
    Moisés

  7. Moisés,

    Realmente, há uma Beverly Crusoe citada em http://daytonflyers.cstv.com/hallfame/dayt-hallfame.html

    Tentei localizar mais informações, mas aumentei as dúvidas.

    Tive acesso a um jornal de 1992, quando a suposta Beverly enfrentou o time de Sorocaba, no Sul-Americano de Clubes. O clube dela eraa o Thomas Bata (Chile) e o nome aparece como Beverly Obringer.

    Será a mesma pessoa?

    Bert

  8. moises gomes disse:

    Bert,

    Encontrei minha relíquia “Super Basquete” Ano II n.º 7. A matéria sobre o jogo no qual atuou a Beverly Crosoe, pelo BCN, é a final da Taça Brasil 1988. Também aparece como uma das titulares outra americana chamada Chanel.
    Assisti a um campeonato de clubes Sul-Americanos que tinha uma americana na equipe chilena, mas essa tinha o nome de Francis ou coisa parecida e tinha um tipo físico mais para “Beyoncé” (cheinha).
    Enquanto isso, vamos em busca de outros nomes supostamente já esquecidos….
    Já ouviste falar da Mágda, uma argentina que jogou no EMAS MANDI (88)?

    Moisés

  9. Moisés,

    Vou alterar o post com esses dados que você garimpou.

    No time chileno, eram essa outra Beverly e uma tal de France Savage.

    Não lembro da Magda.

    Valeu,

    Bert

  10. Joaquim Neto disse:

    A Magda Combo, argentina, era uma pivô alta 1.95, era do New Old Boys, veio jogar na Unimep, porém passou pouco tempo. Não jogava lá grandes coisas não. Era muito lenta e não tinha muita precisão. Foi uma das primeiras a atuar aqui.

  11. Joaquim Neto disse:

    Se o idealizador deste site pegar edições antigas da REvista Placar, certamente terá mais nomes. Quanto a Chanel, pivô americana de mais 1.93, se eu não estou enganado, jogou no campeonato brasileiro de 1988.

  12. Marcial Ribeiro Chaves disse:

    As cubanas que jogaram na UNIMEP em meados dos anos 1980, sob o comando de Maria Helena Cardoso e Heleninha, foram as célebres Maria León e Barbara Becker, esta última chegou a integrar a comissão técnica de Cuba numa Copa América disputada no Brasil no início dos anos 1990. Na ocasião em que defenderam a UNIMEP, o time era patrocinado pelas Lojas Riachuelo e usava o uniforma verde cítrico e Azul marinho, ao sagrarem-se campeãs pela UNIMEP naquela temporada uma delas comemoru carregando heleninha nos ombros em plena quadra, foi uma cena muito simpática que ajudou a diminuir a antipatia dos público brasileiro pela cubanas que na época tinha sempre confrontos duros contra o Brasil.

  13. Puxa, que alegria navegar na internet e ainda ser lembrados pelos amantes do basquete. Adorei. Bons tempos que não voltam mais.

  14. fernando disse:

    A BEVERLY que comentam tambem jogou no final da carreira na Pró-alcool Araçatuba que logo passou a Unimed Araçatuba(campeã sul americana em torneio c minercal costeca Sorocaba) alternando os jogos c/ Debora Lee e Adrienne.Depois fez parte da comissão tecnica com Morto,Borracha…

  15. Fábio amaral disse:

    Incrível, como nós, amantes do basquete feminino, sempre nos esbarramos em situações e pessoas conhecidas. Destas revistas mencionadas, também as tenho. Os nomes, nos esquecemos, mas quando velhos conhecidos (Fernando) nos lembram, estas situações ainda nos emocionam. Como disse o Juarez, tempos que náo voltam. Mas acredite juarez, sentimos muito sua falta, assim como sentimos do melk, também do bert, e outros tantos que nos emocionaram e emocionam sempre.
    Abraço grande
    fabioamaral@yahoo.com.br

  16. Ricardo Campanini disse:

    SOU DE SALTO, A CIDADE DA EMAS MANDI, ONDE JOGOU MAGDA. REALMENTE ELA ERA UMA PIVO COM QUASE DOIS METROS DE ALTURA, COM POUQUISSIMAS HABILIDADES. LEMBRO QUE MEU PAI TRABALHAVA NA EMAS (EMPRESA QUE BANCAVA O TIME) E ELE ERA O CONTATO ENTRE A EMPRESA E O TIME. LEMBRO-ME DE UMA OPORTUNIDADE QUE TIVEMOS MUITA DIFICULDADE PARA ENCONTRAR UM TENIS PARA MAGDA (ELA CALÇAVA 46). TENHO INÚMERAS FOTOS DAQUELA EQUIPE. TEMPO BOM…

  17. Jurandir Fagiani disse:

    Gostaria de dizer que eu também sou apreciador de basquete, principalmente o feminino e desde aqueles tempos da década de 1980. Também gosto de relembrar as estrangeiras que por aqui passaram e gostava muito dos confrontos entre a Minercal e o BCN. Adorava! Lembro muito bem de Adrienne, Da Beverly que depois foi para o Pro-álcool. Lembro que haviam duas Katrinas, ambas ótimas jogadoras, mas nem lembro em que equipe atuaram, só sei que uma veio para o Leite Moça de Sorocaba, mas não lembro se a outra tb era desta equipe. Os biotipos delas eram bem diferentes. Lembro da Charlotte, da Karina, excelente jogadora argentina e de Wanda Ford que jogou na Minercal (jogava muito aliás e eu tenho até um autógrafo dela guardado até hoje). Lembro da Edna Campbell que era importantíssima para o Lacta de Santo André. Da Elena que jogava na equipe da Maria Helena Cardoso e deixava a torcida adversária preocupada. E entre tantas outras, lembro também de uma jogadora que atuou pelo Lacta Santo André, que infelizmente foi esquecida talvez por ser um tanto “fraca” em sua performance, o nome dela era Trina Trace e não acho nenhum registro desta jogadora. Só o que ficou desta época foi a saudade… uma imensa saudade!!

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: